Encerramento das oficinas do mês da Consciência Negra

06/12/2018

Por: Alessandra Melo Rocha e William Lima

No decorrer do mês de novembro os oficineiros Lucas Alves e William Lima realizaram atividades voltadas ao mês da Consciência Negra, baseado no dia 20 de novembro como um marco da história, esse dia foi criado em 2003 como efeméride incluída no calendário escolar até ser oficialmente instituído em âmbito nacional mediante a lei nº 12.519 em 10 de novembro de 2011, sendo essa data feriado em cerca de mil cidades em todo o pais, dedicada a reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares em 1695.

Foram desenvolvidas diversas ações visando a sensibilização dos adolescentes atendidos através do filme "12 anos de escravidão" que retrata a história de uma homem negro que é de Solomon Northup é um negro livre, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos, ele passa por dois senhores, Ford e Edwin Epps, que, cada um à sua maneira, exploram seus serviços.Foram realizadas seções do tradicional Cine Pipoca SCFV na sede da Sodiprom com os adolescentes da região centro-oeste, uma secção no anfiteatro no CEU das Artes com o público atendido da região Sul Inamar e uma seção especial na última quarta-feira no Cine Eldorado, sendo este o cinema público e gratuito do município de Diadema que faz parte do complexo de atividades do Centro Cultural Eldorado.

Todos adolescentes atendidos pelo programa realizaram uma pesquisa sobre subtemas relacionados a consciência negra como escravidão no mundo e no Brasil, feminismo negro, lugar de fala, encarceramento em massa, genocídio da juventude negra, desigualdade racial, racismo estrutural, afro-futurismo, moda negra, cotas raciais, religiões de matrizes africanas, danças africanas, África e suas curiosidades, políticas de promoção da igualdade racial de Diadema, sexualização dos corpos negros, cultura afro-brasileira, capoeira, samba. Os adolescentes realizaram apresentações do conteúdo pesquisado por meio de slides previamente elaborados por eles no PowerPoint para todos os amigos de turma.

E o encerramento contamos com a realização de um circuito de atividades dinâmicas sobre a cultura negra e a participação do Mestre da Lapa - Adenildo Evangelista de Oliveira que desenvolve atividades de capoeira de forma voluntária no Poliesportivo Ayrton Senna. Trabalha há mais de 34 anos como capoeirista. O Mestre Lapa apresentou a história da capoeira além de ensinar os primeiros passos do jogo. "Por ser um grupo sem contato direto a proposta teve boa aceitação".